Home / Geral / Brasil / COMO NASCEM AS MANHÃS NA PONTA DO DEDO DE UMA CRIANÇA, NA POESIA DE FLORA FIGUEIREDO

COMO NASCEM AS MANHÃS NA PONTA DO DEDO DE UMA CRIANÇA, NA POESIA DE FLORA FIGUEIREDO

Paulo Peres

Poemas & Canções

A tradutora, cronista e poeta paulista Flora Figueiredo mergulha no silêncio da noite para nos mostrar como nascem as manhãs, no seu poético entender.

COMO NASCEM AS MANHÃS
Flora Figueiredo

O fundo dos olhos da noite
guarda silêncios.
Esconde na retina
a menina que corre descalça em campo aberto.
Pálpebras cerradas, a noite emudece.
A menina com medo
faz um furo no escuro com a ponta do dedo.
Cai um pingo de luz.
Amanhece.

Veja Também

BRASILEIRA VAI PILOTAR HOTEL EM NOVA YORK

Durante 20 anos ela foi diretora-geral do Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, e agora ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *