Home / Geral / Baixo Astral / TOFFOLI AO SOLTA GEDDEL VIEIRA, FOI COERENTE COM OUTROS LADRÕES

TOFFOLI AO SOLTA GEDDEL VIEIRA, FOI COERENTE COM OUTROS LADRÕES

Celso Serra

Geddel Vieira

Dias Toffoli tirou Geddel Vieira Lima da cadeia, concedendo-lhe prisão domiciliar. Dias Toffoli é aquele ministro que foi nomeado por Lula, a alma mais pura do Brasil, para o Supremo Tribunal Federal, após ter sido reprovado nos concursos que prestou para ser juiz de primeira instância, o que foi entendido como “notável saber jurídico” – condição exigida pela Constituição do Brasil.

A outra condição exigida pela Constituição a “reputação ilibada”, ou seja, uma reputação íntegra, incorrupta e “sem manchas” foi preenchida pelo fato de ter sido advogado do PT e trabalhado com o beato José Dirceu. Melhor referência impossível.

SENADO AVALIZOU – O brioso Senado brasileiro aprovou a nomeação de Dias Toffoli por ter, na opinião dos senadores, atendido as exigências constitucionais e possuir todos os méritos para ser ministro e fazer parte do seleto grupo da Suprema Corte brasileira.

Os cidadãos brasileiros consideram a tirada de Geddel da cadeia um ato de rotina, pois confirma uma tradição humanista do STF de libertar os grandes ladrões do dinheiro do povo. Antes, Toffoli já tirara o ex-chefe José Dirceu, concedendo-lhe um habeas corpus que nem tinha sido requerido, vejam no Brasil o quanto vale ter um amigo.

Toffoli também tirou da cadeia Paulo Maluf, que se aliara ao PT, e o argumento foi uso de fraldas geriátricas. Da mesma forma e pelo mesmo motivo, libertou Jorge Picciani, confirmando a teoria de Nelson Rodrigues sobre indivíduos que só são solidários no câncer (de próstata).

LULA E GEDDEL – O mesmo Toffoli libertou Lula, com seu voto escalafobético sobre prisão após segunda instância, lembram?

Quanto ao larápio Geddel Vieira Lilma, trata-se de um antigo “cumpanhero” do PT, pois foi ministro da Integração Nacional do governo Lula, vice-presidente de pessoa jurídica da Caixa Econômica Federal no governo Dilma e ministro secretário do Governo no Palácio do Planalto sob a gestão Michel Temer – portanto, com enorme folha de serviços prestados aos honestos governos na capital Brasília, construída por JK propositadamente para ficar longe e fora do controle do intolerante povo brasileiro.

Toffoli mandou Geddel para sua confortável residência em Salvador, Bahia de Todos os Santos, durante o recesso do STF, em lúcido ato de grande valor e reconhecimento pelos serviços prestados por Geddel, vítima da sociedade brasileira. São atos de solidariedade humana como esse que provam o valor de uma antiga amizade, dignificam o Brasil e fazem os brasileiros se orgulharem do STF.

Veja Também

MICHELLE BOLSONARO SE EMPANTURROU DE REPASSES DAS RACHADINHAS DO FLÁVIO

Deu no O Tempo A quebra do sigilo bancário de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *