Home / Geral / Brasil / REABERTURA DO CASO FLÁVIO BOLSONARO INCOMODA PLANALTO

REABERTURA DO CASO FLÁVIO BOLSONARO INCOMODA PLANALTO

Coluna Brasília-DF

Senador Flávio Bolsonaro

Assessores palacianos já se preparam para aumentar o estoque de comprimidos contra dor de cabeça. É que, ali, no QG das decisões governamentais, há a certeza de que o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) será o mais exposto com a liberação do compartilhamento de dados pela Receita Federal e também da Unidade de Informações Financeiras (UIF), sucessora do Coaf. No papel de vice-presidente do Aliança pelo Brasil, Flávio Bolsonaro é hoje considerado peça-chave nos planos políticos de seu pai e tem sido voz ativa em defesa do governo no Senado.

Só o fato de reabrir a investigação já será motivo de desgaste, especialmente em ano eleitoral. O senador jurou a seus colegas no Senado que não tem relação com as movimentações do ex-assessor Fabrício Queiroz e negou qualquer participação em esquema de “rachadinhas” (quando os funcionários de um gabinete são obrigados a entregar parte do salário a outra pessoa). O presidente Bolsonaro, entretanto, promete seguir nas duas linhas, que adotou desde o início: a de que Flávio é investigado para tentar atingi-lo e a de que quem não deve, não teme.

E o governo “Dilmou”

Apesar da nota cautelosa da Febraban, a turma dos bancos não ficou nada satisfeita com o tabelamento de juros do cheque especial. Jamais esperava essa atitude de um governo que, no ano passado, criticou a presidente Dilma Rousseff por ela ter decidido baixar os juros na marra.

“Mata-mata”

Ministro Paulo Guedes

É assim que muita gente atenta aos projetos do Congresso tem se referido às propostas de emendas constitucionais, que o ministro da Economia, Paulo Guedes, enviou ao Congresso, até dentro do próprio governo. Mata-mata é um quelônio ameaçado de extinção que habita a Amazônia. São grandes jabutis colocados para serem retirados.

O grande primo do jabuti

Um dos maiores quelônios no texto que Guedes enviou na PEC Emergencial é a redução de salários de servidores em 25%. Ainda que haja redução da jornada, a avaliação dos partidos que ajudam o governo é a de que não passa.

Moro, o próximo tema

Passado o julgamento do compartilhamento de dados e da segunda instância, o próximo grande tema no Supremo Tribunal Federal, que o Ministério Público e a Lava-Jato acompanham com uma lupa, é a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro. O PT pressiona para que seja julgado este ano. No partido, há a certeza de que, se o STF julgar o atual ministro da Justiça, suspeito no caso Lula, o ex-presidente deixará de ser tratado como criminoso. Hoje, depois de duas condenações, por mais que Lula diga que é inocente, sempre haverá quem o considere culpado.

Ministro Onyx Lorenzoni

Depois do pré-sal…/ O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, passou por Londres, Milão, está em Moscou e seguiu para Berlim, a fim de encontrar o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas. A missão é apresentar as oportunidades de negócios no Brasil a megainvestidores estrangeiros. Entre quatro paredes, há quem diga que, depois da frustração com os leilões do petróleo, todo cuidado é pouco.

Quem manda/ O presidente Jair Bolsonaro pretende passar o ano-novo no Forte dos Andradas, no Guarujá, onde funciona o comando da brigada de artilharia antiaérea. Mas, quem vai decidir o destino da família para as festas de fim de ano, será a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, que ontem invadiu a live do marido para comemorar 12 anos de casados.

Começou a desaceleração/ Passada a reunião do Mercosul em Bento Gonçalves esta semana, alguns integrantes do primeiro escalão devem tirar uns dias de férias. Entre eles, o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno.

Nordestinos irados/ A citação em manchetes de sites de São Paulo a respeito do óleo venezuelano em praias do Rio de Janeiro virou notícia no WhatsApp, onde foi usada a expressão “óleo do Nordeste” chega ao litoral do Rio sem causar estrago ambiental. Ora, o óleo é venezuelano.

Veja Também

BOLSONARO DIZ QUE É FAKE NEWS BOATOS DE QUE ESTARIA CANCEROSO

Um dia depois de afirmar que pode ter câncer de pele, o presidente Jair Bolsonaro ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *