Home / Geral / Baixo Astral / LEITORES DIZEM QUE CAMILO INVENTA CAOS FINANCEIRO PARA NÃO DAR AUMENTO AO FUNCIONALISMO

LEITORES DIZEM QUE CAMILO INVENTA CAOS FINANCEIRO PARA NÃO DAR AUMENTO AO FUNCIONALISMO

Governador Camilo Santana.

Opiniões são altamente divergentes em relação a matéria sobre o baixo astral que está dominando as finanças do Governo do Ceará. O próprio governador admite que a situação está ficando preta. Os gastos com servidores em 2018 e 2019 consequentemente, em relação a 2017, cresceram em 12%. Esta matéria foi postada em nosso site hoje pela manhã.

O leitor Fernando Henrique da Silva Prado, do bairro Novo Juazeiro, diz que o governador está colhendo o que plantou, pois gastou o que não podia para se reeleger, virou um verdadeiro Papai Noel e hoje vemos o Estado do Ceará que era cantado e decantado como um dos poucos com as contas equilibradas na Federação, na iminência de desmoronar.

Claudio Henrique da Costa, do bairro Pimenta, em Crato, aconselha o governador a diminuir o número de secretários, acabar com a figura do secretário executivo em cada secretaria do estado, demitir a enxurrada de gente apadrinhada por deputados e prefeitos na Assembleia Legislativa, os famosos aspones(assessores para nenhuma). Dizem que se o presidente deste Poder resolvesse convocar para trabalhar esses apadrinhados a fila virá bater no Crajubar.

Já Maria Amélia Francelino, moradora no centro de Juazeiro do Norte, afirma que a informação não é verdadeira. Em 2017 o Gasto com Pessoal foi de R$ 7.539.771.749,30 e em 2018 foi de R$ 8.110.638.639,74, que apresenta uma variação de 7,57% de 2018 em relação a 2017. O governo não está querendo cumprir a legislação de nos dar o reajuste da inflação e fica arranjando notícias negativas sobre a folha. Podem verificar os demonstrativos da ‘Despesa com Pessoal’ constante no Portal da Transparência e que foram publicados no Diário Oficial do Estado – DOE.

Paulo Ponte, de Fortaleza, acusa Camilo Santana de vir se esforçando em criar atritos com os servidores, cuja categoria acumula perdas salariais, entre janeiro de 2015 e dezembro de 2018 de 19%.
Os servidores são, em última instância, as pessoas responsáveis por elaborar e entregar políticas públicas à população. É fácil entender que essa postura do governador desmotiva diversos servidores e, consequentemente, afeta o atendimento das necessidades da população.

Por fim, Aglair Soares, também de Fortaleza, coloca: 12%? Informação repassada de maneira equivocada. O crescimento das despesas, comparando 2017 a 2018, ficou em torno de 7%. Esperamos que não estejam arrumando justificativas para não se conceder o reajuste anual aos servidores públicos estaduais.

Veja Também

REVISTA FOCO E SUA RESISTÊNCIA EM MEIO AO MERCADO DIGITAL

Sâmia Bezerra Mediante o compromisso de bem produzir em termos editoriais uma grande revista e ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *