Home / Geral / Brasil / MALUF: SÍMBOLO DA CORRUPÇÃO NO BRASIL, TENTA SE LIVRAR DA CADEIA A TODO CUSTO
22-08-17-ji7fpl72y1tbfdb

MALUF: SÍMBOLO DA CORRUPÇÃO NO BRASIL, TENTA SE LIVRAR DA CADEIA A TODO CUSTO

ESSE MALUF É PARADA!

Maluf Dias antes de ser preso
Maluf Dias antes de ser preso

Essa cambada de ladrões políticos brasileiros quando a justiça finalmente os alcança e os coloca na cadeia, eis que chegam de imediato as suas defesas advocatícias milionárias para lhes defenderem e buscar um meio de soltá-los no sentido de voltarem a ver o sol nascer redondo novamente.

Vejam o caso do deputado federal Paulo Maluf que há mais de trinta anos anos é acusado de praticar os maiores roubos aos cofres públicos e a nação toda assistia abobalhada como esse homem acusado de tantas falcatruas e mesmo assim não sentia o peso da lei em seu lombo? Usou e abusou, tirou partido do povo brasileiro e ainda debochava. Paulo Maluf sequer pode viajar para o exterior porque consta da lista de procurados da Interpol. Essa condenação de Maluf (tem outros roubos dele que ainda faltam ser julgados) é por receber propina em contratos públicos com as empreiteiras Mendes Júnior e OAS quando era prefeito de São Paulo (1993-1996). Os recursos teriam sido desviados da construção da Avenida Água Espraiada, hoje chamada Avenida Roberto Marinho. O custo total da obra foi cerca de R$ 800 milhões. Tem tempo que os paulistanos clamam por justiça, mas não, quando finalmente prendem o danado, eis que a defesa do parlamentar anda pedindo que Maluf aguarde em liberdade o julgamento do recurso que foi protocolado para reverter a decisão que determinou o imediato cumprimento da pena. Além disso, os advogados alegam que ele não tem condições de ficar no presídio devido ao seu estado de saúde e aos seus 86 anos. Para roubar e sacanear o País ele pode, mas na hora de pagar por seus malditos crimes não pode!

Maluf ao ser buscado pela Polícia para ser preso, apresentou indisposição e dificuldades de locomoção. Puro jogo de cena.
Maluf ao ser buscado pela Polícia para ser preso, apresentou indisposição e dificuldades de locomoção. Puro jogo de cena.

Precisamos aprender com os Estados Unidos a lidar com corruptos. Veja o caso  do ex-presidente da CBF, o brasileiro José Maria Marin, que foi extraditado da Suíça para os Estados Unidos para comparecer a um tribunal federal no Brooklyn, em Nova York. Uma juíza determinou fiança de US$ 15 milhões (cerca de R$ 57 milhões) e o dirigente ficou aguardando em julgamento em regime de prisão domiciliar. Marin ficou em seu apartamento em Nova York, monitorado eletronicamente. Dai que os jurados do Caso FIFA concomitantemente, condenaram Marin por seis dos seus sete crimes contra esta entidade.

Ex-presi8dente da Fifa, José Maria Marin está preso nos Estados Unidos e já pode se despedir que não sai mais da prisão e vai morrer por lá.
Ex-presi8dente da Fifa, José Maria Marin, está preso nos Estados Unidos e já pode se despedir que não sai mais da prisão e vai morrer por lá.

De imediato a juíza americana Pamela Chen determinou a sua prisão imediata em regime fechado num presídio do Brooklyn, enquanto espera o tamanho da pena ainda a ser anunciada pela justiça americana. Seus advogados já tentaram de tudo para livrar José Maria Marin da prisão em regime fechado, inclusive, utilizando os mesmos argumentos dos advogados de Maluf aqui no Brasil, ou seja, que ele precisa de cuidados médicos e já contar com 86 primaveras. A juíza Pamela Chen não quis nem conversar sobre essa possibilidade, no que está atoladinha de razão. Que a justiça brasileira se mire na americana e não abra uma vírgula neste caso do Maluf e em tantos outros que anda rolando pelos tribunais brasileiros.

Matéria sob inspiração do jornalista Marcos Peixoto.

 

Veja Também

thumbnail_WhatsApp Image 2018-05-22 at 19.15.40

ANDRÉ FIGUEIREDO FEZ BONITO EM DEBATE SOBRE ELEIÇÕES 2018 NO CAFÉ COM AUTORIDADE

DOBRADO POLÍTICO O líder do PDT na Câmara, André Figueiredo (CE), participou na manhã desta ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *